Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

03 Jan, 2017

Trumbo (2015)

trumbo.jpg

Trumbo leva-nos até à Hollywood de 1947 onde Dalton Trumbo (Brian Cranston) é um guionista de topo. O único problema é que é assumidamente e orgulhosamente comunista (como explica à filha mais nova de forma genial a dada altura do filme). Nada interessado em abrir mão dos seus ideiais, ele e outros 9 na mesma posição como Arlen Hird (Louis CK) ou Ian McLellan Hunter (Alan Tudyk), deixam de poder trabalhar para os grandes estúdios. É nessa altura que Trumbo, como forma de ganhar a vida, defender os seus pares e prestar homenagem aos milhares de americanos colocados na "lista negra" como a virar o jogo, passando a escrever compulsivamente e cobrando menos, dominando, sob vários pseudónimos, Hollywood até que o seu envolvimento se tornou essencial para a indústria e para alguns dos seus protagonistas que o procuraram como Kirk Douglas (Dean O´Gorman) ou Otto Preminger (Christian Berkel). Pelo caminho, Trumbo, sacrifica a sua vida familiar com destaque para a relação com a mulher, Cleo (Diane Lane) e com a filha mais velha, Niki (Elle Fanning); vê antigos amigos rebelarem-se contra ele como a famosa colunista Hedda Hopper (Helen Mirren), o ator Edward G. Robinson (Michael Stuhlbarg) ou o produtor Buddy Ross (Roger Bart). Faz ainda novos amigos, como os irmãos Frank (John Goodman) e Stephen King (Hymie King), donos de uma pequena produtora que se orgulhava de fazer maus filmes e novos inimigos como o poderoso John Wayne (David James Elliott). Um elenco de luxo a contar a história fabulosa do homem que, contra quase todos, escreveu obras como Spartacus e venceu dois Óscares. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.