Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

Euphoria (2019-?)

Maio 26, 2020

Francisco Chaveiro Reis

1280_720.jpg

Cru, duro e muitas vezes, literalmente nu, assim é o retrato que Euphoria faz da adolescência ocidental, onde há necessidade viver tudo, no limite e rapidamente. No centro, está Rue (Zendaya, ex-menina Disney), que regressa às aulas após um verão de overdose e desintoxicação. Atormentada pelo passado e com necessidade constante de escape, continua a drogar-se, engando a mãe e irmã e caminhando para o abismo, seja lá isso, o que for. Eis se não quando, lhe aparece à frente, Jules (a ativista Hunter Schafer), cheia de estilo e de dores da separação dos pais e se torna na sua melhor amiga e razão de abstinência de drogas, ao mesmo tempo que se apaixona por estranhos via app´s. Num mundo digital, há ainda a gordinha que perde a virgindade e é filmada, acabando por virar o jogo e transformar-se numa sensação sexy em sites pornográficos. Há o menino perfeito, com uma a namorada perfeita que cresce à sombra de um pai dominador e que tem tendência para o controlo e violência. E existe a boazona, disposta a tudo, para que gostem dela, confundido o sexo com o amor e existe muito mais, num ecossistema de uma realidade aparentemente paralela que afinal acontece aqui ao lado.

Aos olhos da justiça (2019)

Maio 24, 2020

Francisco Chaveiro Reis

EB_whentheyseeus_destaque.jpg

Em 1989, uma jovem foi violada e espancada em pleno Central Park, em Nova Iorque. O ato bárbaro levou a que cinco adolescentes fossem condenados a consideráveis penas de prisão. No entanto, apesar de terem estado encarcerados doze anos, não chegaram a cumprir as suas penas na totalidade. Em 2002, o verdadeiro criminoso, num rebate de consciência, confessou-se e foi preso. Os cinco foram libertados, indemnizados e são agora homenageadas numa série Netflix. A homenagem, justa, mostra como a justiça escolheu e condenou cinco jovens negros, de poucos meios, por um crime que não cometeram, mudando para sempre o rumo da sua vida. A questão levantada é simples e complexa: estão os EUA livres de voltar a fazer o mesmo?

Os Últimos Czares (2019)

Maio 19, 2020

Francisco Chaveiro Reis

5d25dd9815e9f93bff548303.jpg

O fim dos Romanov – brutalmente assassinados na cava da casa onde eram prisioneiros políticos – é conhecido. O percurso do Czar Nicolau II desde a subida ao trono até aquela cave, nem tanto. É esse percurso que Os Últimos Czares, série documental da Netflix, nos ajuda a perceber. Recorrendo a atores - Robert Jack, Susanna Herbert ou Ben Cartwright e a estudiosos dos Romanov, como Simon Sebag Montefiore, a série é uma espantosa reconstituição de uma Rússia imperial, em queda, muito graças à forma como o Czar contraria os seus instintos e deixa que a opinião dos que o rodeiam sejam prevalentes. Uma fabulosa reconstituição de época.

Huge in France (2019-?)

Maio 18, 2020

Francisco Chaveiro Reis

huge_in_france_netflix-e1554989238115.jpg

Gad Elmaleh, um dos maiores comediantes franceses, faz de si próprio nesta nova série do Netflix, que explora, com muita piada a diferença entre ser famosa em França e nos EUA. Farto do sucesso garantindo em França, Gad regressa aos EUA onde vive o filho de 15 anos com o qual quase não tem relação. Habituada a ser uma estrela, Gad descobre sem se conformar, que ninguém o conhece nos EUA e que não pode usar a sua influência para ajudar o filho na carreira de modelo, o atalho para ganhar a admiração do rapaz. E só conta com Brian, um solicito assistente como apoio...

Undercover (2019-?)

Maio 17, 2020

Francisco Chaveiro Reis

AAAABR_X4OIQe5Lj1QgrINElSrpFNocA3c7B3bYZVUUi91zgpW

Depois do sucesso da organização do Campeonato da Europa de Futebol de 2000, Bélgica e Holanda voltaram-se a unir para, desta vez, para coproduzirem uma série para a Netflix, sobre o tráfico de pastilhas a partir da região belga de Limburg, aqui apresentada como a “Colômbia do Ecstasy”.

Bob (Tom Waes) e Kim (Anna Drjver) são polícias que põem a vida em suspenso para se fazerem passar por um casal que se instala no parque de campismo de Limburg. O cenário algo decrépito, parrasse não ser o local ideal de férias de um barão da droga, mas é lá que Ferry Bouman (Frank Lammers) se sente em casa e tem o seu chalé. Rodeado por bando de aparentes idiotas, Ferry parece ser um Tony Soprano wannabe (e vê-se que Os Sopranos e Breaking Bad tiveram influência nos autores de Undercover).

Mas nas primeiras cenas do vilão da série, entendemos que a sua vilania é a valer. Faz milhões com pastilhas e é duro com os que com ele trabalham. Aqueles que o traem já sabem que não vivem outro dia. Com ar de urso zangando, Ferry é a melhor personagem e aquela que mais se desenvolve ou que pelo menos, mais se revela. Não é fácil ganhar-lhe a confiança, mas a ganância tem sempre o seu papel. Uma bela surpresa, mais ou menos perdida na Netflix, que já tem uma segunda visita a Limberg em preparação.

Lambs of God (2019)

Maio 16, 2020

Francisco Chaveiro Reis

lambs-of-god.jpg

Algures na Austrália, numa ilha esquecida pela Igreja e pelos tempos, vivem três irmãs, as últimas da peculiar Ordem de Saint Agnes. Iphigenia (Essie Davis) e Margarita (Ann Dowd) juntaram-se à ordem para fugir das suas vidas e Carla (Jessica Barden), só sabe que foi deixado à porta do convento em ruínas que lhe serve de casa. Entre orações e histórias, as irmãs cuidam os seus cordeiros (que acreditam ser a reencarnação das irmãs que já partiram) e tricotam a sua lã. A sua vida calma é interrompida quando o Padre Ignatius (Sam Reid) chega à ilha para avaliar a propriedade onde vive as irmãs, que ele nem sabia que existiam. A Igreja quer vender o mosteiro que será transformado num hotel de luxo. E isso, é algo que as três irmãs não podem permitir, fazendo da vida de Ignatius, um cativeiro e um inferno. Mais de quatro horas cheias de surpresas, a começar pela época. Quando penamos estar algures na Idade Média, o telemóvel de Ignatius toca…

O Pioneiro (2019)

Maio 12, 2020

Francisco Chaveiro Reis

hhhhhhh.jpg

Jesus Gil y Gil (1933-2004) é conhecido em Portugal por ter sido presidente do Atlético de Madrid, tendo em muito contribuído Paulo Futre para a sua eleição, como decisivo trunfo. Polémico no futebol, a nova série da HBO, O Pioneiro, conta a vida do espanhol, que foi, afinal, polémico em todos os aspetos da sua vida. Recorrendo a diversos testemunhos, desde o dos filhos ao dos opositores políticos, passando por Futre, e a imagens da vida pública de Gil, este documentário conta como o empresário se fez, fazendo fortuna a qualquer custo mas sempre de forma engenhosa e inovadora criando uma cidade onde nada existia ou vitalizado Marbella, colocando-a no mapa do luxo. Vendedor de carros, promotor imobiliário, presidente de um clube ou político foram algumas das facetas de um self made man à espanhola.

Castlevania (2017-?)

Maio 10, 2020

Francisco Chaveiro Reis

60

Castlevania cruza o mundo de um popular videojogo com o anime japonês e é um sucesso. Percebo porquê, mesmo nunca tendo jogado o título ou sem ter o olho treinador para a animação japonesa. Vlad Tepes, que é como quem diz Drácula, recebe a visita da intrépida Lisa, decidida a que o vampiro lhe ensine os segredos da medicina, para que possa ajudar os humanos. O casal apaixona-se, casa-se e até tem um filho, mas coincidindo com a ausência de Drácula, a Igreja condena Lisa à fogueira como bruxa. Regressado, Vlad trata da sua vingança: exterminar a humanidade, recorrendo a todo o tipo de demónios sanguinários (aqui começamos a ver a violência bastante visual pelo qual a anime é também conhecida). Para evitar o fim do Homem, junta-se um vampiro (só vendo perceberão porquê), uma humana com poderes e Trevor Belmont, o último de uma família de caçadores de vampiros e outras ameaças para a humanidade, fazendo o papel de anti-herói. A terceira temporada está a caminho e promete ser mais do mesmo. Violência e misticismo, misturada com história e bastante humor, numa espécie de Guerra dos Tronos em animação. Originalmente, Castlevania é uma série de jogos da mítica produtora Konami. O primeiro título foi lançado em 1986 e até 2018, dezenas de produtos da série chegaram a todas as consolas e sistemas.

The Hot Zone (2019)

Maio 07, 2020

Francisco Chaveiro Reis

2688x1076-Q75_b55b21d2a90786e69c3cd465406085eb.jpg

Julianna Margullis (ER e The Good Wife), Liam Cunningham (Game of Thrones) e Topher Grace (That '70s show) lideram o elenco de The Hot Zone, uma minisérie do National Geographic, sobre a história verídica de um surto de ébola descoberto nas instalações de pesquisa de Reston, EUA, em 1989. Margullis é Nancy Jazz, tenente-coronel do exercito norte-americano, que tenta conter o surto, sem causar uma onda de pânico, levando a que as suas ações tenham que ser mais ou menos secretas. A série estreia-se numa altura em que o vírus altamente infeccioso está ativo e já matou 1.866 pessoas desde agosto de 2018, altura em que a República Democrática do Congo declarou o seu décimo surto de ébola nos últimos 40 anos. É o segundo surto mais mortífero do ébola desde que há registo.

Colateral (2018)

Maio 06, 2020

Francisco Chaveiro Reis

colate.jpeg

Se nem sempre vou com a cara falta-de-sal de Carey Mulligan, desta vez ela vai muito bem como detetive londrina, grávida mas com vontade de levar um estranho caso de homícidio até ao fim. Na linha do melhor que se fez nos últimos anos para aqueles lados como  Broadchurch, Sherlock ou Midsomer Murders, Collateral é uma aposta Netflix, em formato minisérie que merece um olho atento.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D