Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

12 Jan, 2016

Pyongyang (2003)

Pyongyang3.jpg

À chegada ao país recebeu um ramo de flores. Depois percebeu que este deveria ser depositado junto à estátua do líder supremo.

 

Numa altura em que a Coreia do Norte desperta as atenções do mundo, é uma boa altura para dar atenção a algumas manifestações culturais que retratam o dia-a-dia daquele país. Sendo um país tão fechado, poucos são os estrangeiros que lá entram e podem contar o que viram. O português José Luís Peixoto foi dos poucos. Passou alguns dias na Coreia do Norte (sem telefone) e escreveu Dentro do Segredo, editado em 2012 e devorado por este vosso amigo em poucos dias. Se para os habitantes, o quotidiano terá pouca piada, para nós, meros observadores, o sistema castrador revela-se "interessante". Mais recentemente vi The Propaganda Game, de 2015, do espanhol Alvaro Longoria, que teve oportunidade de visitar o país e fazer um documentário no qual vimos a Coreia por dentro, como nunca antes a tínhamos visto.

 

Mais antigo (2003) mas mais recente no meu consumo é Pyongyang, uma comic novel, onde o canadiano Guy Delisle relata a sua experiência e tudo o que lhe ia na cabeça nos meses em que habitou naquele país. Nos dois meses em que trabalhou para o estúdio de animação local, sempre acompanhado por um guia, viveu num dos três hotéis da cidade e esteve sempre confinado à realidade que lhe quiseram mostrar, encontrando liberdade apenas na sua cabeça. Um relato cheio de bom humor mas onde a tristeza pelo modo de vida daquele povo, vem ao de cima.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.