Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

“Pois o mar é mistério que nem os velhos marinheiros entendem”, assim reza a introdução a Mar Morto, romance poderoso de Jorge Amado escrito em 1936, e que é uma narrativa da vida dos pescadores da Cidade Baixa, Salvador da Bahia, romanceada através das personagens fortes de Guma, Rufino, velho Francisco, Manuel, homens que nasceram na beira do mar, que cresceram com os olhos diante das ondas, em roda dos saveiros, e cujo destino é traçado pelo mar, na vida e na morte; das mulheres que sofrem, amam e conhecem o destino fatídico dos seus homens, como Lívia ou Maria Clara, e os que alimentam sonhos e amam de coração pesado as gentes da beira do cais, como o Dr. Rodrigo e D. Dulce.