Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

sem nome.png

O Caso Spotlight foi o grande vencedor da 88 .ª edição dos Oscars, ao vencer na categoria de melhor filme, batendo o favorito O Renascido e o meu favorito Mad Max. Aliás, de entre os nomeados, perceberia melhor a vitória de Quarto ou A Ponte dos Espiões. Ainda assim, ter um filme sobre o combate à pedofilia no centro das atenções, é muito positivo, levando ao debate sobre esta epidemia. Mas, mesmo assim, Iñarritu levou para casa a estatueta de melhor realizador, pelo secundo ano consecutivo. A Academia terá achado de mais, dar ao mexicano, dois anos seguidos, o prémio de melhor realizador e melhor filme, embora me pareça estranho que o melhor filme não seja obra do melhor realizador ou que o melhor realizador, não realize o melhor filme…

Nos atores, a festa foi de Leo Di Caprio. Depois de anos a fio de desilusão, o americano festejou, num ano em que talvez não merecesse tanto como quando foi um Lobo de Wall Street, por exemplo. A melhor atriz foi Brie Larsson, mãe coragem em Quarto, superando Cate Blanchet. Nos atores secundários, a fantástica Alicia Vikander, também em grande em Ex-Machina, venceu pela´ A Rapariga Dinamarquesa, derrotando justamente a favorita Kate Winslet (o “casalinho” de Titanic esteve perto da glória conjunta). Mark Rylance, fabuloso em A Ponte dos Espiões, venceu o prémio masculino. Destaque ainda para Divertidamente, provavelmente o melhor filme do ano, que venceu “apenas” como melhor animação. Son of Saul foi o melhor filme em língua estrangeira e Amy, foi o melhor documentário.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.