Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

"2084 é muito mais duro do que Submissão. Descreve um verdadeiro totalitarismo religioso. Boualem Sansal descreve a vitória dos extremistas. Talvez ele tenha razão. A sua visão de futuro é muito plausível". Michel Houellebecq
Svetlana Aleksievitch é Prémio Nobel de Literatura mas é mais jornalista do que escritora. Recolhe testemunhos sobre um determinado assunto e dá voz a quem os viveu. Já o fez com o fim da União Soviética e fê-lo mais recentemente com o desastre nuclear de Chernobyl. Em “Vozes de Chernobyl”, recolheu opiniões de sobreviventes e a (...)
 A Verdade sobre o caso Harry Quebert, de Joel Dicker, lê-se num instante, num trago de letras apetecíveis, saboreando as palavras num policial genial. Um muito justificado best-seller que nos arrasta para uma trama envolvente, onde nada é exatamente o que parece e que, a espaços, nos dá lições sobre o exercício da escrita. Obrigatório. 
Daniel Silva, ex-jornalista americano, filho de pais portugueses, é um fenómeno da literatura policial. Tem um estilo que prende e vicia, muito ao jeito Dan Brown, mas com maior qualidade na escrita. Invariavelmente, temos Gabriel Allon, espião israelita com talento para restaurador de arte, no centro da narrativa, salvando o mundo (...)
Este livro de Henrique Raposo, que de passagem diga-se que o tomo por um cronista desinteressante, tem suscitado inúmeras críticas. Não o li, ainda. O colega Francisco tem uma opinião bem balizada do assunto. A questão que se coloca é saber quais os critérios usados por Henrique Raposo para as conclusões que subtrai. Que método foi utilizado para a obtenção dos resultados? Desenvolveu trabalho de campo? Realizou entrevistas? Em segundo lugar, e não menos importante, cumpre (...)
18 Jan, 2016

O Escultor (2015)

   O momento em que David conhece Meg.   David Smith ainda não chegou aos 30 anos e já se acha um falhado. Escultor, vive longe dos seus melhores dias, após ter gozado de alguma fama. Sem dinheiro ou grande inspiração, nós, leitores, vamos encontra-lo deprimido num bar, a beber cerveja no dia dos seus anos. Eis se não (...)
O Francisco já havia escrito sobre este tão aclamado livro de Paula Hawkins. Quantos de nós não nos encontrámos já a imaginar vidas para os demais que vemos para lá das janelas? É precisamente dessa ideia que parte "A Rapariga no Comboio". Um thriller sobre vidas cruzadas para lá da imaginação, segredos guardados, vidas onde a realidade transforma a fantasia do (...)