Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Voo do Colibri

«O Colibri não é apenas um pássaro qualquer, o seu coração bate 1200 vezes por minuto, bate as suas asas 80 vezes por segundo, se parassem as suas asas de bater, estaria morto em menos de 10 segundos. Não é um pássaro vulgar, é um milagre.»

03 Set, 2013

Jobs

Todos somos apaixonados por um história de vida de sucesso. Até ser derrotado pela doença, Steve Jobs foi um homem de sucesso. Ashton Kutcher está perfeito na pele do criador da Apple, imitando a voz, o andar e os tiques, sendo o melhor de toda a fita.

 

O filme começa em  2001, quando Jobs apresenta internamente o iPod (não há Phones ou Pads para ninguém) e recua até aos anos 70, nos quais, Jobs fundou a Apple na garagem dos pais adotivos.

 

Jobs tem o mérito de não endeuzar Steve Jobs, retratando-o como alguém com dificuldades em relacionar-se com outras pessoas, incluindo os amigos mais próximos ou a filha. Jobs é visto como alguém para quem o trabalho está acima de tudo.

 

É-nos mostrado um Jobs mais humano, a espaços, mas, a imagem que fica é de alheamento e egoísmo. Mesmo o génio informático parece ser mais atribuido a Steve Wozniak do que ao próprio.

 

Tendo pontos de interesse, faltará aprofundar o lado negro de Jobs. E já agora, o mais claro.