Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por João Ferreira Dias, em 23.02.17

From now on: http://gentsclub.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

La La Land

por João Ferreira Dias, em 19.02.17

Numa época de revivalismos e nostalgias, La La Land é um hino à Broadway, aos musicais como período dourado do cinema, recordando tanto Grease quanto West Side Story. Um musical sobre o preço da fama, sobre sonhos e descaminhos do amor, que me levam a pensar que o subtítulo português deveria ser "melodia do adeus" ao invés de "melodia do amor". Interpretações muito boas, com um maravilhoso toque de jazz, e um guarda-roupa primoroso, numa bela homenagem ao musical como género cinematográfico. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

O Livro dos Baltimore de Joël Dicker

por João Ferreira Dias, em 18.02.17

 Virei a última página de O Livro dos Baltimore, coberto de imensa emoção. Tal como A Verdade sobre o caso Harry Quebert, Joël Dicker oferece-nos uma leitura arrebatadora e comovente, que começa por nos fazer viver a maravilhosa adolescência dos Goldman, que muito recorda a série Dawson's Creek, para nos ir conduzindo até ao Drama. Não há spoilers neste texto, há uma indicação de leitura: leiam. Não sei qual dos livros gosto mais, sei que gosto muito de ambos. É impossível não entrar nos personagens, não esperançar e sofrer com eles. A escolha fica com cada leitor.

 

© fotografia de JFD

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Um Dia, de David Nicholls

por João Ferreira Dias, em 10.02.17

Encontrei-o por acaso, num corredor de uma qualquer feira do livro, abandonado como literatura vulgar. Não o é. "Um Dia" de David Nicholls é um romance cru, profundamente humano e real, sem artifícios ou melodramas dos romances exagerados, com personagens habitados de uma densidade psicológica tremenda, que nos fazem esquecer que lidamos com ficção e não com relatos de vida. Uma viagem pelo crescimento emocional e pelas voltas que a vida dá, entre Edimburgo, Londres e Paris.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Silêncio (2017)

por Francisco Chaveiro Reis, em 23.01.17

 

Silêncio, novo filme de Martin Scorcese, é longo (quase três horas) e desafiante. Ameaça muitas vezes tornar-se chato mas a meu ver, tal nunca acontece. No Séc. XVII, os cristãos são perseguidos e massacrados no Japão budista. Os japoneses convertidos são obrigados a renunciar à sua fé ou assassinados. É neste contexto que o padre português Ferreira (Liam Nesson) desaparece sem deixar rasto. Chegam a Portugal relatos da sua conversão ao budismo e da sua renúncia à fé. Num clima de grande perigo, dois dos seus protegidos resolvem partir para Oriente para saber o que realmente aconteceu a Ferreira. É assim que Sebastião Rodrigues (Andrew Garfield) e Francisco Garupe (Adam Driver) partem para a aventura da sua vida. Escondidos no Japão pós passagem por Macau, com a ajuda de um japonês bêbado e errante – Kichijiro (Yosuke Kubozuka), conhecem a pobreza extrema, o medo de serem apanhados mas uma fé inabalável de uma minoria japonesa tocada pelos ensinamentos dos jesuítas ibéricos. Num período de grande sofrimento, os dois padres acabam por ser presos, com destaque para Rorigues que se vê sob a influência de Inoue (Issei Ogata), o cérebro por trás da perseguição. Um filme de grande beleza fotográfica onde o sofrimento extremo está sempre presente, tendo a fé como escape e tábua de salvação.

Nota: Impressionante o sadismo relatado nos métodos de torturar os cristãos. Um sadismo reproduzido depois em filmes da II Guerra Mundial, nos quias se volta a ver esta maldade aplicada aos prisioneiros norte-americanos, vide Invencível, de 2014.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Homens Bons (2016)

por Francisco Chaveiro Reis, em 13.01.17

homensbons_1473852913.jpg

 

Arturo Perez Reverte é um dos nomes maiores da literatura espanhola, sendo responsável por clássicos instantâneos como A Rainha do Sul (agora série do Netflix), a série Alatriste (adaptado ao cinema, com Viggo Mortensen no centro da trama) ou O Hussardo. Em 2016, lançou Homens Bons, um livro de aventuras que descreve a viagem dos espanhóis don Hermógenes Molina e almirante don Pedro Zárate, membros da Real Academia Espanhola, em busca dos 28 volumes da Enciclopédia Francesa de D'Alembert e Diderot. A escrita fluente de Reverte faz a ponte entre Madrid e Paris, pelos caminhos do Iluminismo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Lanzarote (2000)

por Francisco Chaveiro Reis, em 12.01.17

michel-houellebecq-lanzarote-i.jpg

 

O francês Michel Houellebecq conquistou-me em 2015, com Submissão, onde imaginava que França seria controlado por um partido islâmico que faria valer os seus ideais. Desde logo se notava a sua escrita mordaz e a sua obsessão por personagens autobiográficas profundamente cínicas, egoístas e com um apetite sexual voraz. Em Submissão, na Paris de 2020, François, um professor universitário que gosta mais de ter relações com alunas do que de outra coisa menor como ensinar, vê-se a braços com a escalda do Partido da Fraternidade Muçulmana, chegando a fugir da capital francesa.

 

Em Lanzarote, chegado agora às livrarias portuguesas, com 17 anos de atraso, Houellebecq, dá voz mais um homem ao qual pouco interessa na vida. Aborrecido da sua vida francesa, procura umas férias que o seu pequeno orçamento possa pagar. Calha-lhe a “lunar” Lanzarote (nada desconhecida entre os portugueses, como será da maior parte dos leitores do resto do mundo, não ibéricos) onde sente um misto de emoções: curiosidade sexual por um casal de lésbicas alemãs; curiosidade sobre um polícia belga divorciado e melancólico; surpresa agradável pela beleza da ilha e ainda algum desprezo desconcertante por situações ou seres vivos.

 

Se por um lado, expõe o ridículo de certas questões da existência humana (a forma como descreve os critérios ingleses de escolha de férias é sinal disso), por outro, relata tudo com uma voz negra que nos dá vontade de rir longamente. De nós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Assassin´s Creed (2016)

por Francisco Chaveiro Reis, em 09.01.17

Assassin´s Creed é uma série de videojogos de grande sucesso, na qual, os gamers controlam um ou mais assassinos em diversos periodos históricos, em missões difíceis mas interessantes e gráficos assombrosos. É divertido passar umas horas neste universo. Divertido, é coisa que o filme, agora chegado às salas não é. Uma coisa é certa: dificilmente agradará aos fãs da saga e ainda mais dificilmente converterá os que ainda não o são. Michael Fassbender é Cal, um rebelde sempre em fuga que é condenado à morte após uma vida de pequenos e grandes delitos. Em vez da injeção ser letal, leva-o às garras de uma estranha organização que quer o fim da violência. É aí que Sofia (Marion Cotillard) o apresenta a uma máquina - Animus - que o faz retroceder até à Espanha do Séc. XV e à pele do seu antepassado Aguilar. Nos momentos que passa na máquina, Cal, pelos Assassinos, luta contra os terríveis templários, pela posse da Maçã, uma relíquia que dá ou tira a capacidade de livre arbítrio à humanidade. Salvam-se algumas cenas de batalha na Andaluzia de 1400 e troca o passo. Como raio Fassbender se meteu nisto? E como raio Cotillard, Jeremy Irons, Brendan Gleeson, Charlotte Rampling ou Michael Kenneth Williams se lhe juntaram? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

A luz entre oceanos (2016)

por Francisco Chaveiro Reis, em 08.01.17

Tom (Michael Fassbender) é um homem melancólico, a curar as feridas psicologicas da guerra de 1914-1918. No decorrer dessa sua luta interior, aceita um emprego como faloreiro, na pequena ilha de Janus, onde vive em isolamento e onde apenas recebe visitas com semanas ou meses de intervalo. Mas a sua chegada foi altamente impactada pela visão da lindissima e dulcissima Isabel (Alicia Vikander) de quem se aproxima nas poucas visitas à localidade mais próxima e com quem acaba por casar. A vida do casal na ilha é feliz até que Isabel engravida e perde dois fillhos em menos de um ano. Com a plenitude do casal a devanescer, um estranho acontecimento, muda-lhes a vida. Um barco dá à costa, com um homem morto e uma criança de meses a bordo. Isabel implora que fiquem com a criança como sua e o corpo estranho é enterrado, contra a vontade de Tom. Quando voltam a terra, Tom descobre que a criança é afinal filha de uma rica mulher da região - Hannah (Rachel Weisz) -, que chora a sua perda. O que fazer? Um filme de qualidade superior com o trio central a mostrar toda a sua classe e o realizador (Derek Cienfrance de Como um trovão ou Blue Valentien) a puxar dos galões para um filme triste mas bonito, comtemplativo à lá Malick mas sem nunca perder o rumo. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

The Last Guardian, PS4 (2016)

por Francisco Chaveiro Reis, em 03.01.17

Hitokui é um jovem japonês que acorda ao lado de Trico, uma estranha criatura agrilhoada e ferida. Hitokui decide dar-lhe de comer e ajuda-lo a curar-se e começa assim uma bela amizade, plena de aventura e traduziada no jogo mais bonito de 2016. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:





BLOGOSFERA

LETRA - A


Antropocoiso

A FORMA E O CONTEÚDO

Aventar

[a barriga de um arquitecto]

às nove no meu blogue

Autores e Livros

Aspirina B

ABC do PPM

A barbearia do senhor Luís

A Natureza do Mal

Arcebispo de Cantuária

A Arte da Fuga

Ativismo de Sofá

o Avesso do Avesso

A Terceira Noite

A B S O R T O

Água Lisa

Arcadia

avatares de um desejo

A Causa Foi Modificada

 

LETRA - B


BLASFÉMIAS

Banco Corrido.

Bicho Carpinteiro

Bibliotecário de Babel

...bl-g- -x-st-

blogue dos marretas

cinco dias

Câmara de Comuns

Corta-fitas

Causa Nossa

Clube das Repúblicas Mortas

Cadeirão Voltaire

Córtex Frontal

Cibertúlia

CHARQUINHO

classepolitica

Cartas de Política

 

LETRA - D


Delito de Opinião

Diário Ateísta

Da Literatura

Direito & Economia

Da Rússia

 

LETRA - E


Entre as brumas da memória

Esquerda Republicana

Estado Sentido

 

LETRA - H


hoje há conquilhas, amanhã

Homem Urbano

Horas Extraordinárias

 

LETRA - I


irmão lúcia

INDÚSTRIAS CULTURAIS

(in)Transmissível

 

LETRA - J


jugular

 

LETRA - L


lusofolia

Ladrões de Bicicletas

Livros de Areia Editores

LER

 

LETRA - M


Minoria relativa

 

LETRA - N


Não sei o quê, um blog

noite americana

Nostalgia Futura/a>

 

LETRA - O


O MacGuffin

O Insurgente

O JUMENTO

o Avesso do Avesso

O que fica do que passa

Ortografia do olhar

o silêncio dos livros

 

LETRA - P


portugal dos pequeninos

Pedro Rolo Duarte

 

LETRA - S


sorumbático

segunda língua

 

LETRA - T


Tantos Livros Tão Pouco Tempo

 

LETRA - V


Venice is Not Sinking

 

LETRA - 1,2,3


31 da Armada

25 centímetros de neve



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D